Soneto (1999)

Tantas vidas teria para amar-te,
que seria imprudente contemplar
de um lance, somente, teu olhar,
que reflete o Universo, o Amor e a Arte !

Se algum bom-senso ainda me restar
para agir, pensar e desejar-te
sem, contudo, na ânsia, sufocar-te,
seja, assim, manifesto, meu falar.

Só desejo, de ti, a melhor parte:
a Essência, a Beleza e o Coração !
Nada além, que possa ofuscar-te

o infinito que dure esta paixão !
Só, destarte, eu posso assegurar-te
nunca mais retomar minha razão !

Anúncios
por João Carlos Figueiredo Postado em Poesia

Aguardo sua resposta...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s