Retalhos da Vida

Guardamos as memórias
Em objetos recolhidos
Pela Vida…

Fragmentos de existência
Dependurados, displicentes,
Nas paredes
De nosso isolamento…

Quem saberá, um dia,
Ler suas Estórias ?
Nossas histórias…

Pedaços de frases sem sentido,
Incoerentemente entrelaçadas
Nas estantes,
Nos armários…
Pelo chão…

Nas entrelinhas das vivências
Deixadas no passado…
Sem Autor… e sem Protagonista.

Anúncios
por João Carlos Figueiredo Postado em Poesia

Aguardo sua resposta...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s